Conjuntivite Alérgica | Minha Ótica Online

Frete Grátis Acima de R$149  ✓  Desconto Adicional de 5% no Boleto  ✓  Site Seguro e Recomendado  ✓  Central de atendimento Clique Aqui!  ✓

 

Carrinho
R$0,00

Nenhum produto no carrinho.

Olá Visitante

Conjuntivite Alérgica

Conjuntivite Alérgica    

Alergia é, indubitavelmente, uma das causas mais comuns da conjuntivite, e isto também acontece entre os usuários de lentes de contato. Os pacientes frequentemente apresentam uma série de sintomas vagos, sendo que a coceira tende a ser predominante. Sintomas associados podem ser vermelhidão, inchaço, olhos lacrimejantes e o espirro ocasional.

Os médicos devem ser astutos, pois alguns destes sintomas também são relacionados com a síndrome do olho seco. O histórico do paciente pode ser crítico para um diagnóstico correto, já que muitos que sofrem de conjuntivite alérgica, sofrem também de alergias sistemáticas ao meio ambiente. Ao fazer uma avaliação para o uso de lentes de contato, os exames podem detectar folículos que anunciam a conjuntivite alérgica.

Uma grande variedade de antígenos foram detectados como sendo a origem da conjuntivite alérgica, entre eles, ácaros, pelos de animais, pólen e poeira.

Entre a população usuária de lentes de contato, os antígenos previamente mencionados podem ser o motivo de suas alergias, apesar de que, alguns componentes de colírios umectantes e de soluções de limpeza e desinfecção podem aderir à superfície das lentes e provocar uma reação alérgica.

Como acontece na maioria dos problemas relacionados ao uso de lentes de contato, no caso de conjuntivite alérgica, a descontinuação do uso das lentes será um tratamento eficaz. Os sintomas melhoram com a aplicação de compressas frias, irrigação dos olhos e anti-histamínicos/ descongestionantes. Raramente esteroides tópicos são recomendados. Agentes anti-inflamatórios não esteroides tópicos podem ser benéficos para o paciente de conjuntivite alérgica, pois inibem a prostaglandina . No entanto, apesar de exercerem sua influência terapêutica na rota cyclo-oxygenase eles não influenciam a síntese leukotriene. Em casos de alergia mais severa esteroides tópicos são aceitáveis, apesar de raramente necessários. O uso de uma terapia oral concomitante é frequentemente benéfica em casos de conjuntivite alérgica mais sintomáticas.

Administrar o uso de lentes de contato em um paciente de conjuntivite alérgica pode ser tão difícil quanto em um paciente de dermatite de contato, devido à variedade de antígenos em potencial. Duas estratégias principais devem prevalecer para a readaptação de um paciente de conjuntivite alérgica ao uso de lentes de contato – alterar o regime de cuidado e limpeza e minimizar o desgaste da lente. O primeiro objetivo pode ser atingido mudando o regime de cuidados com a lente, de preferência para um sistema que não precise de armazenamento. O segundo objetivo pode ser atingido recomendando ao paciente o uso de lentes de descarte diário ou semanal.

É importante lembrar que a conjuntivite alérgica em pacientes que usam lentes de contato pode continuar mesmo após a descontinuação de seu uso. A conjuntivite alérgica não relacionada com o uso de lentes de contato deve ser completamente curada antes que se possa voltar a usar as lentes.

  Carregando...